STJ define requisitos para o fornecimento de remédios fora da lista do SUS

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou, em 25 de abril de 2018, em sede de recurso repetitivo sob a relatoria do ministro Benedito Gonçalves, os requisitos para que o Poder Judiciário determine o fornecimento de medicamentos que não estão previstos na lista do Sistema Único de Saúde (SUS).

Tais requisitos devem ser preenchidos cumulativamente, sendo válidos apenas nas demandas judiciais propostas a partir da data da decisão do STJ, sem o efeito retroativo nas decisões já proferidas relacionadas ao mesmo tema.

São os requisitos:

  • Comprovar por meio de laudo médico fundamentado a necessidade do medicamento, assim como da ineficácia, para o tratamento da moléstia, dos fármacos fornecidos pelo SUS;
  • Comprovar a incapacidade financeira do paciente de arcar com o custo do medicamento;
  • Comprovar a existência de registro do medicamento na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ainda, determinou-se que após o trânsito em julgado de cada processo que trate da disponibilização de medicamento não fornecido pelo Sistema Único de Saúde, haja a comunicação ao Ministério da Saúde e à Comissão Nacional de Tecnologias do SUS (Conitec), a fim de que seja estudada a viabilidade de sua incorporação no âmbito do SUS.

 

Fabio Mesquita Pereira Srougé

fsrouge@zilveti.com.br

Associado | Societário

Camilla Dalpino Giachini

cgiachini@zilveti.com.br

Estagiária | Contencioso Cível

Compartilhe

Artigos Recentes

Solução de Consulta COSIT nº 61/2024 e a Indevida Inclusão do Fundo de Combate à Pobreza na Base de Cálculo do PIS e da COFINS

No dia 26 de março de 2024, a Receita Federal do Brasil, por sua Coordenação-Geral de Tributação, editou a Solução …

Ler mais >