Nova tendência no varejo eletrônico: dinheiro de volta na conta do consumidor

NOVA-TENDENCIA-NO-VAREJO-ELETRONICO-DINHEIRO-DE-VOLTA-NA-CONTA-DO-CONSUMIDOR

Em tempos de crise, a internet passou a ser um dos principais instrumentos para aquecimento do setor de varejo. Trata-se de um fato que está há tempos em pauta entre os maiores players do setor que, com frequência, criam novos métodos para diversificar suas operações e expandir sua atuação no e-commerce, instrumento que lhes concede uma infinidade de possibilidades e oportunidades para inovação.

Nesse momento, mais uma tendência observada em outros mercados varejistas mundiais está ingressando no Brasil: o chamado “cashback”.

O “cashback” nada mais é que um benefício real de curto prazo, que significa uma quantia em dinheiro de volta na conta do cliente após este adquirir determinado produto ou serviço. Trata-se de um sistema de fidelização de cliente que não se confunde com o desconto, que pode ser concedido conjuntamente com “cashback”.

Na America Latina, a Beblue, startup que opera com a proposta de executar o “cashback”, firmou convênio com Mastercard para atuação nesse mercado. A Beblue atuará na operação do programa, mediante identificação do cliente e operacionalização das plataformas. O aplicativo projeta movimentar, até o final de 2016, R$ 60 milhões em restituições.

Trata-se de mais uma inovação no mercado eletrônico que, em seu dinamismo de praxe, cria novas formas de se transacionar no mercado em um curto espaço de tempo. Porém, diante da recente inserção dessa transação no varejo brasileiro, o mercado ainda não possui o arcabouço regulatório necessário para que, de modo claro e seguro, o consumidor e o próprio lojista tenham seus direitos resguardados. O tema é extremamente recente e o empresário deve ficar atento para todas as discussões e novidades futuras, principalmente no que tange a aspectos contratuais com as operadoras de cartão de crédito e direitos do consumidor.

Créditos: Equipe Task-Force Varejo do Zilveti Advogados

Compartilhe

Artigos Recentes

Solução de Consulta COSIT nº 61/2024 e a Indevida Inclusão do Fundo de Combate à Pobreza na Base de Cálculo do PIS e da COFINS

No dia 26 de março de 2024, a Receita Federal do Brasil, por sua Coordenação-Geral de Tributação, editou a Solução …

Ler mais >